Chat sobre Direitos Autorais

 
Instructor>> Eu estou pensando em tentarmos o rodizio de pessoas
     falando...usando a nossa lista cada um fala e depois retornamos
     ok. Assim, Daísa o que v. tem para dizer sobre os direitos
     autorais?
Daísa  Teixeira-->> Lendo alguns artigos sobre o assunto, muito
     instigante por sinal, sinto ser necessário que pensemos numa
     nova ética em relação à autoria da produção intelectual veiculada
     pela web.
Instructor>> O tema direitos autorais na web é novo e complicado
     mesmo para os advogados. Mas como o Willis diz nós que trabalhamos
     com a web precisamos saber muito para não termos problemas.
Instructor>> Vera, e v.?
Valéria  Fraga-->> oi, pessoal. Tudo bem?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Como está Valéria?
Vera  Mello-->> sim, pois conforme apresentado na lei 6010, não
     podemos tomar o trabalho intelectual de ninguém sem pedir
     permissão para isso.
Instructor>> Neuza, e v. o que acha?
Vera  Mello-->> desculpe, errei ao digitar a lei.... é de número
     9610
Neuza  June--Carlton--Caramel-->> Não consegui acessar o item
     da Biblioteca relativo às leis e direitos, mas tive uma pequena
     experiência, quando utilizei uma matéria de uma página de
     química, primeiro eu enviei um e-mail pedindo autorização
     e fui orientada no sentido de indicar a fonte.Infelizmente
     não consegui abrir o item na Biblioteca sobre leis e direitos,
     mas penso que a ética nos indica a referenciarmos sempre
     o autor quando citado ou a fonte.
Instructor>> Gerson?
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Creio que é necessário que certos
     limites sejam ajustados, no que diz respeito ao uso de materiais
     na/da Web. Tais limites seriam melhor entendidos/respeitados
     se existisse um acordo formal entre os autores. A auto-regulamentação
     é uma saída muito interessante, estabelecendo certos limites,
     usando partes da legislação vigente e modificando-a no que
     for necessário.
Instructor>> Polly?
Pollyana  Mustaro-->> a questão é muito ampla, mas creio que é
     importante sempre entrar em contato com o autor não só para
     perdir permissão, mas também para obter informações de como
     a propriedade intelectual deve ser disponibilizada.
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> Oi tudo mundo!Boa tarde!
Instructor>> Junio?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim, Vera, mas existem algumas
     ressalvas, como por exemplo utilizar um artigo com menos
     de 2.500 palavras. O problema é encontrar o proprietário
     do trabalho no qual se está interessado...
Vera  Mello-->> não é difícil, caso não se encontre o autor, pode-se
     ir em busca do webmanager e conseguir autorização.
Instructor>> Maria Covadonga?
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> O fato de poder usar /ser
     utilizado já estava-me preocupando, mas não consegui ler
     o que a Vani enviou. So tenho duvidas por enqunto
Instructor>> Beth é a sua vez
Instructor>> A Beth sumiu?
Instructor>> Valéria é v.
Valéria  Fraga-->> Achei interessante no texto sobre copyright
     a questão do uso justo "fair use". Temos uma grande liberdade
     para utilizar materialna área educacional. Porém temos que
     tomar cuidado com os mateirais de uso restrito (livro texto,
     imagens...)
Instructor>> Esta primeira rodada nos mostra duas preocupações.
     A primeira com o material da web que usamos, este é fácil
     basta informarmos a outra é quando oferecemos um curso pago,
     ou seja, ganhamos dinheiro com o material alheio e a terceira
     a Valéria colocou agora que é o que podemos copiar livremente
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Acho que o uso de pequenas partes
     pode ser feito sem autorização - desde que com as devidas
     citações. Partes maiores só devem ser utilizadas com autorização
     do autor. Geralmente, o mesmo o uso de certas imagens - de
     novo, com a devida citação - é permitida para fins não-lucrativos...
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> Não marcamos definitivo
     lá também, Beth
José  Junio--Lopes-->> Textos de caráter informativo, não constitui
     ofensa aos direitos autorais a reprodução de textos informativos
     (notícias), desde que citado o autor e sua fonte (artigo
     46, I, a). Desta forma, jornais, revistas e sites de caráter
     meramente informativo não estão obrigados a recolher direitos
     autorais, pois, como sua intenção é meramente informativa
     estão liberadas por lei
Pollyana  Mustaro-->> Gerson, pq as pequenas partes poderiam ser
     tratadas de forma distinta?
Daísa  Teixeira-->> A facilidade de reprodução que vemos nos meios
     eletrônicos dificulta muito o cumprimento das leis.
Vera  Mello-->> mas isso não significa que devemos descumprir
     as leis, certo, Daisa.
Instructor>> No texto do Willis está discriminado o que pode ser
     utilizado ...ou seja... cerca de 10% de um texto ou, se não
     me engano, cerca de 500 palavras... imagens, filmes e sons
     também,,,
Instructor>> É claro que tudo isto precisa ser informada a origem,
     a fonte, os autores,,,
Daísa  Teixeira-->> Certo, pra mim é um indicativo de que devemos
     pensar em como nos guiar da forma mais ética possível nesse
     emaranhado que é a web.
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Justamente, Polly, pq citar é
     diferente de reproduzir...
Valéria  Fraga-->> Mil palavras ou 10%.
Instructor>> Obrigada, Valéria
Valéria  Fraga-->> Mil palavras ou 10%.
Instructor>> Obrigada, Valéria
Pollyana  Mustaro-->> Gerson, mas citar em um artigo é uma coisa
     e disponibilizar uma parte de um texto, sem o devido contexto
     é outra, não?
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Sem dúvida. É disto que estou
     falando.
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Penso que temos que ter
     bem claro o que se pode ou não usar, e nesse sentido o texto
     de Willis e outros nos ajudam bastante
Valéria  Fraga-->> Sobre a questão da imagem. Se quisermos utilizar
     uma foto de um quadro do movimento modernista (1922), estaremos
     obrigados a solicitar permissão?
Valéria  Fraga-->> A quem?
Pollyana  Mustaro-->> a quem comprou o direito de distribuição
     da imagem.
Instructor>> Uma coisa importante que aprendi foi que as instituições
     públicas podem utilizar mais livremente estas referências...
     na consulta jurídica, foi colocado que as escolas publicas
     e confessionais estão livres do direito autoral do que é
     permitido o uso, as outras não
Valéria  Fraga-->> Polly, e se ista imagem estiver num livro?
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Não sei bem ao certo quanto às
     regras, mas certas coisas - textos, imagens - são de domínio
     público. Ninguém pode deter os direitos de reprodução de
     tais obras.
Pollyana  Mustaro-->> Os livros colocam suas restrições de copyright
     logo nas primeiras páginas.
Pollyana  Mustaro-->> Os livros colocam suas restrições de copyright
     logo nas primeiras páginas.
José  Junio--Lopes-->> Veja este artigo: Direito Autoral na Internet
     - http://www.mecanicaonline.com.br/2000/editorial/copyright.htm
Daísa  Teixeira-->> Vani, estariam incluídas aí as páginas de
     professores de escolas públicas, para fins específicos de
     capacitação de professores e de oferta de disciplinas on
     line?
José  Junio--Lopes-->> Veja este artigo: Direito Autoral na Internet
     - http://www.mecanicaonline.com.br/2000/editorial/copyright.htm
Daísa  Teixeira-->> Vani, estariam incluídas aí as páginas de
     professores de escolas públicas, para fins específicos de
     capacitação de professores e de oferta de disciplinas on
     line?
Instructor>> Pelo contrário Gerson... a coisa é complicada...imagem
     por exemplo tem o direito do autor e se for foto tem o direito
     da pessoa, o modelo
Valéria  Fraga-->> Segundo o texto é possivel mostrar uma ilustração,
     quadro ou diagramam por livro.
Pollyana  Mustaro-->> Valéria, este pode ser o caso de um livro,
     o problema é que cada caso é um caso.
Instructor>> Daísa, se a exposição for para fins exclusivamente
     educacionais e oferecidas por instituições sem fins lucrativos,
     o que é de uso permitido, não paga ... se o curso for comercializado,
     aí é preciso pagar os direitos do autor
Valéria  Fraga-->> É verdade, Polly. Precisamos ter cuidado e
     sempre citar a fonte.
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> E quando as ilustrações
     estão online, fazem parte de um site de alguma instiruição
     particular?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> E quando as ilustrações
     estão online, fazem parte de um site de alguma instiruição
     particular?
Valéria  Fraga-->> Ou são de domínio público, como no caso dos
     sites jornalísticos?
Pollyana  Mustaro-->> Depende do site.
Instructor>> Helenice, se v. for disponibilizar em algum espaço
     público como web, cd-rom.... e não tiver autorização v. está
     cometendo infração
Valéria  Fraga-->> E no WEBCT, que é um espaço restrito, Vani?
Vera  Mello-->> Valéria, o que você considera domínio público?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim..e se citarmos o endereço
     eletrônico em uma home page que criamos?
Instructor>> Ou seja, quando utilizamos imagens e filmes em salas
     de aula presenciais não corremos risco nenhum..aida que eticamente
     devemos sempre citar as fontes.... mas nos cursos virtuais
     é diferente.
Pollyana  Mustaro-->> Acho que a Vera está levantando uma questão
     importante:^quando é ou não contrafação?
Daísa  Teixeira-->> Outro artigo interessante sobre o assunto:
     A Propriedade Intelectual na Era Digital em http://www.gilbertogil.com.br/humus/hu_sg.htm
Valéria  Fraga-->> Eu estava pensando nas notícias/imagem que
     aparecem nos sites jornalísticos, Vera.
Daísa  Teixeira-->> Outro artigo interessante sobre o assunto:
     A Propriedade Intelectual na Era Digital em http://www.gilbertogil.com.br/humus/hu_sg.htm
Valéria  Fraga-->> Eu estava pensando nas notícias/imagem que
     aparecem nos sites jornalísticos, Vera.
Pollyana  Mustaro-->> Então Valéria, retirar uma imagem não é
     uma contrafação?
Vera  Mello-->> O que se considera domínio público são apenas
     as obras cujos autores são desconhecidos ou após 70 anos
     de sua morte.
Instructor>> Pois é Valéria, aí depende de interpretação... veja
     o nosso caso... a instituição é publica, o curso é gratuiyto
     e ainda por cima é restrito, tem senha... assim mesmo...
     pode ser interpretado que outras pessoas de fora do curso
     podem ter acesso...
Valéria  Fraga-->> Acho que se eu colocar no meu site, sem autorização,
     é sim, Polly.
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Justamente o que eu mencionava
     ser de domínio público, com as limitações que a Vera mencionou.
Valéria  Fraga-->> Neste caso, é mais interessante colocar links
     para que os alunos acessem a informação na Web, em vez de
     copiá-las ou reproduzi-las dentro do ambiente.
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> É preferível à cópia. Concordo
     com vc, Valéria
José  Junio--Lopes-->>
Daísa  Teixeira-->> No caso de uma obra de arte, por ex., seria
     melhor colocar o link para o museu virtual? Ainda assim seria
     problema?
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Aliás, creio que a cópia dificilmente
     se justifica, dadas as facilidades do hipertexto.
Instructor>> O texto, tem os direitos do autor e da editora...
     As fotos tem os direitos do fotografo e do modelo e as músicas
     tem os direitos do compositorr e dos músicos
Valéria  Fraga-->> Concordo, Gerson. Mas imagine que você quer
     fazer uma ligação de imagens, com uma finalidade pedagógica,
     neste caso não há como trabalhar com links interrrelacionados
     fora do meu site.
Pollyana  Mustaro-->> Lei do Direito Autoral Nova Lei do Direito
     Autoral LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Altera,
     atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais
     e dá outras providências. Art. 29. Depende de autorização
     prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer
     modalidades, tais como:
Pollyana  Mustaro-->> I - a reprodução parcial ou integral;
Instructor>> Daisa, se v. colocar o link acho que não há problema...
     v. também pode usar a imagem desde que se restrinja ao numero
     de referências apresentados pelo Willis (1 imagem por autor)
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Neste caso, vc pode elaborar
     um "guia de navegação", Valéria. É também uma maneira de
     proporcionar mais liberdade, sob uma perspectiva de construção...
Valéria  Fraga-->> Como você faria isso, Gerson?
Daísa  Teixeira-->> Ok, Vani, essa era uma das nossas dúvidas
     para o trabalho em grupo do curso on line sobre arte brasileira.
Valéria  Fraga-->> E a edição de uma imagem ou texto, como no
     caso da síntese de um artigo, ou uma releitura de um quadro?
Instructor>> Vejam vs. todos estão preocupados em saber utilizar
     as imagesn, textos e sons de outra pessoas... e os nossos
     textos, como protegê-los? O w vs. acham disso?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim, Vani, a gente deveria
     entrar em contato com o Escritório de direitos autorais da
     biblioteca Nacional e registrar pelo menos os textos escritos..
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Orientando os alunos, de maneira
     prévia, dos sites a serem visitados, contendo as imagens,
     por exemplo, que vc pretende utilizar. Um "guia" poderia
     ser direcionado para o objetivo pedagógico pretendido...
Valéria  Fraga-->> Obrigada, Gerson. Entendi a idéia. É legal
     pois dá mais liberdade aos alunos.
Instructor>> Daísa, um curso sobre arte brasileira vai ter muitas
     imagens, certo... vs. precisam ter cuidados em diversificar
     as fontes de busca... criar links... informar ( o que o Gerson
     acaba de dizer) e, se o curso é sem fins lucrativos... explicar
     isto também...
Valéria  Fraga-->> É possível fazer isto pela internet, Helenice?
     Contatar a Biblioteca Nacional e solicitar registro ou é
     um processo burocrático?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Li sobre isso no site citado
     por Vani, em português: www.persocom.com.br/brasilia/plagio1.htm
Daísa  Teixeira-->> Registrar a obra permite provar sua autoria,
     mas não garante que ela não seja copiada.
nstructor>> Sim, Daisa, mas v. pode acionar... já teve casos
     de teses invalidadas por causa da cópia sem citação das fontes
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Pelo que está escrito, existe
     um link para esse escritório de direitos autorais e afirma,
     também, que existe representa~ão desse escritório em várias
     cidades do Brasil
Daísa  Teixeira-->> É uma proteção muito importante para a produção.
     Penso que deveríamos desenvolver esse hábito de registrar
     nossas produções.
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> A impressão que se dá é
     que a web é "uma terra de ninguém" em que tudo se copia..nada
     se cria...parece ser mais um hábito, ou falta de conhecimento
     mesmo..
Valéria  Fraga-->> É que as pessoas estão tão acostumadas com
     a cópia (na escola era o trabalho do colega, depois xerox
     dos livros...) Acho que o problema não é a Web. Ela só facilita
     isto, por causa dos recursos computacionais.
Instructor>> E falta de cuidados... assim , quando v. tirar uma
     foto para colocar no seu site (ou no site da instituição0
     de-se ter o cuidado de ter a autorização assinada das pessoas
     fotografadas.
Daísa  Teixeira-->> Acontece que sempre passaram para nós essa
     idéia da web: desterritorializada, sem dono, sem governo.
     Fico me perguntando se as regras impostas sobre cópia e etc.
     não modificam profundamente essa idéia.
Pollyana  Mustaro-->> Pessoal aí vai o telefone e endereço: Fundação
     Biblioteca Nacional / Biblioteca Demonstrativa de Brasília
     / Av. W-3 Sul - EQS. 506/507 / 70350-550 - Brasília - DF
     / Fone: (061) 244-1928 244-5242 443-0852 / INPI - Instituto
     Nacional de Propriedade Intelectual / situado no ITEP, à
     Rua Prof. Oscar Freire - Cidade Universitaria - PE / Tel.:
     (PABX) (081) 271-4399 / Palácio Gustavo Capanema / R. da
     Imprensa, 16, s/ 1205 - 12º andar
Valéria  Fraga-->> Isto é muito importante mesmo, Vani. Na Uniao
     a coordenadora estava nos orientando sobre a questão de usar
     fotos dos alunos no site da Escola. Se não houver autorização
     dos pais podemos até ser processados.
Vera  Mello-->> Desculpem-me, mas infelizmente tenho que sair.
     Tenho reunião daqui a pouco.
Vera  Mello-->> Tchau a todos.
Valéria  Fraga-->> Um abraço, Vera.
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Polly, vc sabe se existem custos
     para o uso deste serviço?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Pois, já pensaram se utilizam
     nossas fotos publicadas no Webct sem nos consultar?Rs
Pollyana  Mustaro-->> Infelizmente não sei, só disponho da informação
     acima.
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Ah-á! Eu sabia que a Helenice
     tinha uma intenção nefasta qualquer...rs,rs, rs...
Instructor>> É este o problema ..o uso não autorizado da imagem,
     hoje em dia tem sido mais patrulhado at´e do que texto...
     e aí um outro problema... porque segundo os juristas... a
     idéia não é plágio... já a escrita da idéia é... como diferenciar?
Pollyana  Mustaro-->> Pesso@LL, infelizmente tenho que me retirar,
     tenho uma reunião daqui a 10 minutos. beijos e boa tarde!
José  Junio--Lopes-->> Tudo depende do contexto em que a foto
     sera inserida
Valéria  Fraga-->> Creio que a idéia expressa em material escrito,
     seja ele impresso ou digital, é passível de plágio...
Instructor>> É claro Junio... nós adoramos por exemplo ... a foto
     da tripulação na sua HP
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Essa questão do uso de imagens
     é bastante polêmica mesmo...
Instructor>> Valéria, se v. pegar o "espírito da coisa" e explicar
     com suas palavras no contexto do que v. está pesquisando,
     por exemplo... aí é dificil caracterizar como plágio... o
     plágio é do texto escrito (ainda que com pequenas variações)
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> O capítulo IV da LEI Nº 9.610
     define os casos em que não se considera infração ao direito
     autoral algumas práticas...
Valéria  Fraga-->> Eu entendi Vani. A síntese de um texto, que
     seria minha leitura do mesmo não seria plágio.
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim, Gerson, penso que o
     importante é que todos tenham conhecimento sobre o que se
     pode e não se pode usar...
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Eu sou pela paráfrase, com a
     devida referência...
Instructor>> Vejam só... os cursos de formação de professores
     nunca se preocuparam com isto que estamos conversando...
     por isso que eu acho que o professor virtual precisa de um
     outro curso de pedagogia...mos
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> O fato da escola usar
     as imagens dos alunos/professores no seu site precisaria
     de alguns cuidados especiais
Instructor>> Claro, Maria... se um pai quiser ele entra na justiça
     e ganha o direito da imagem
nstructor>> Valéria, a síntese só não é plágio quando v. cita
     a fonte, o autor....etc...
Daísa  Teixeira-->> Conversamos aqui no ProInfo sobre isso, hoje,
     Vani. Inclusive sugeri que o tema direitos autorais na web
     integrasse os conteúdos do próximo curso para professores.
Valéria  Fraga-->> OK, Vani.
Instructor>> Acho excelente medida Daísa.
Valéria  Fraga-->> Eu também não tinha percebido da importância
     deste assunto. Estamos certamente entrando num campo de autores/criadores...
     e a Internet é um dos maiores meios de difusão.
Instructor>> Da mesma forma, o som. A música é algo muito complexo
     em termos de diereito quando pretendemos utilizar em um ambiente
     virtual. Tem o direito do autor, do músico, do interprete
     (cantor), da gravadora...
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> è interessante como a gente
     se "acostumou' a usar gifs, fundos de páginas e outros recursos
     de páginas web, sem autorização..achando tudo isso muito
     natural, por desconhecimento mesmo...
Valéria  Fraga-->> Vani, quando a Daísa colocou a idéia da internet
     sem fronteiras/barreiras, acho que ela tem razão ao dizer
     que existe sim uma limitação, fronteiras, e até limite a
     nossa liberdade de expressão.
Valéria  Fraga-->> Muito mais do que na sala de aula.
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim, Vani, no caso do rojeto
     "Olhar digital", os alunos utilizaram músicas como fundo
     para as imagens que fizeram em vídeo..mas a apple alertou
     para o fato de que seria preciso criar um Banco de dados
     de músicas com a permissão dos autores
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Nesse caso contactamos com
     artistas locais, como o grupo Moxuara, que se prontificou
     a colaborar..
Instructor>> Estamos concluindo legal, a sala de aula é o momento
     artesanal de apresentação restrita e fechada... não fica
     para a posteridade a não sder nos apontamentos e nas lembranças
     da turma... já na web..o curso fica igualmente aberto durante
     o tempo que se quiser... e pode ser acessado por muito mais
     pessoas
Daísa  Teixeira-->> Imaginem qto já não transgredimos em home
     pages, colocando som, gifs, fundos, sem a mais leve preocupação
     com direitos?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Mas é preciso ter uma senha,
     não é Vani?
Instructor>> Crescemos em conscientização não?
Valéria  Fraga-->> Há arquivos de música : mid, ou imagens que
     são feitas para comercialização e podem ser usadas livremente
     nas HP's, Daísa.
Gerson  Pastre--de--Oliveira-->> Acho que a questão é de adequação
     do uso. A ética só traz "limites bons". Precisamos nos "dar
     ao trabalho", construir, inovar, e não somente reproduzir.
     Não queremos que nossos alunos reproduzam, não é mesmo? Por
     isso, acho que o uso de materiais da Web é importante, mas
     deve ser feito de forma racional... senão, não somamos nada...
Instructor>> O caso da senha limita e é importante... um curso
     sem senha precisa de muitos mais cuidados do que um restrito.
     Vejam os minicurso livres e gratuitos da Unicamp...eles estão
     criando tudo...
Instructor>> O caso da senha limita e é importante... um curso
     sem senha precisa de muitos mais cuidados do que um restrito.
     Vejam os minicurso livres e gratuitos da Unicamp...eles estão
     criando tudo...
Instructor>> Ah, o link para acessar o ead da unicamp eu enviei
     por e-mail para vs. Se interessar, cadastrem-se lá e recebam
     os boletins
Daísa  Teixeira-->> Crescemos muito. Daqui para frente, a construção
     e a uitlização de conteúdos passará por um processo de elaboração
     mais apurado, levando em conta o outro, aquele que também
     é autor..
Instructor>> Gente, podemos caminhar para algumas conclusões...
José  Junio--Lopes-->> Estou lendo um texto sobre a Dimensão Espacial
     do ciberespaço -talvez ajude entender os direitos autorais
     sobre um novo prisma -http://www.tamandare.g12.br/ciber/primeira.htm
Instructor>> Fale um pouco sobre o que v. leu Junio
José  Junio--Lopes-->> Estou no começo do texto - ele fala de
     uma nova concepçao de espaço e tempo
Valéria  Fraga-->> Acho que a questão do direito autoral certamente
     vai precisar de uma revisão se considerarmos o futuro do
     ciberespaço. Acho que terá que ser mais aberta (lei/concepção).
Instructor>> Como em tudo ...nós vivemos um momento de transição...
     por enquanto ainda o que vale são as regras tradicionais,
     os conceitos, leis, curriculos...tudo do presencial... precisamos
     de novas teorias, sociologias, psicologias, antropologias,
     engenharias e direitos especiais para a web
Valéria  Fraga-->> É isto mesmo!
Instructor>> Por outro lado, a criação de seres virtuais vai confundir
     tudo de novo... imaginem o aprefeiçoamento e a banalização
     das imagens e usos dos avatares
Valéria  Fraga-->> Totalmente pós-humano, Vani. aonde vamos para
     com isto?
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> è tudo muito recente, complexo
     e novo para nós...
José  Junio--Lopes-->> veja os links da bibliografia deste artigo
     - sao interessantes
Instructor>> Acho que nos séculos anteriores já fizeram perguntas
     semelhantes... o avião, o livro, o cinema, a bomba atomica...
Valéria  Fraga-->> A ficção já aponta esta tendência (Artificial
     Intelligence, Matrix....).
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim...tudo o que é novo
     assusta...
Joana  Tereza--Denobile-->> Acredito que para as próximas gerações
     o que estamos discutindo será para eles pré-histórico...rs
Daísa  Teixeira-->> É onde volto ao assunto da necessidade de
     uma ética diferenciada, tendo em vista os meios que estamos
     utilizando.
Valéria  Fraga-->> Eu também concordo com isto, Daísa.
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Uma ética virtual, Daísa...
Instructor>> Já é um pouco, não Joana... e aí é engraçado... imaginem
     um professorzão tradicional lendo nossos papos...
Joana  Tereza--Denobile-->> Somos o passado do futuro, isso assusta!
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Tudo é um processo..uma
     evolução..ninguém ouvia falar de leis para direitos autorais
     na web há uns 5 anos atrás, imagino...
Instructor>> Estamos no meio da ponte... de um lado a formação
     tradicional e de massa que conhecemos e de outro, novos espaços
     e tempos ...
Daísa  Teixeira-->> Desculpem, mas sinto um desconforto muito
     grande em aplicar as regras e leis de um contexto presencial
     nas complexidades do ciberespaço.
Valéria  Fraga-->> Acho que somos só o começo. O incrível é que
     as mudanças estão ocorrendo muito rapidamente e é difícil
     estar pronto para elas, principalmente se pensamos na formação
     universitária tradicional.
Instructor>> Mas neste momento quem sofre mais é quem quer inovar...
     a universidade assim como toda a educação é retrógrada..
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim, Vani e o que seria
     da educação se não ouvessem pessoas dispostas a inovar, não
     é?
Valéria  Fraga-->> É verdade, Vani. Mas é preciso haver os pioneiros.
     Acho que é o nosso papel, Daísa, no futuro certamente teremos
     regras próprias para criação na net.
Instructor>> Acho que a leitura e discussão sobre os direitos
     autorais nos encaminha para uma nova percepção social...
     a dos direitos dos alunos (nem sei se existe) em reivindicar
     uma educação mais adequada ao momento em que vivemos ,,,
     se deixar, a turma do tradicional não abre espaços...
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> houvesse..desculpem
Valéria  Fraga-->> Como os alunos podem ser ouvidos? Será que
     há espaço para isto na escola atual?
Joana  Tereza--Denobile-->> Concordo, Vani. Alunos e professores...
     não haverá mais distinção...
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> Os proprios alunos já
     pedem mudanças
Instructor>> Eu vou colocar no site a apresentação que fiz no
     educador... meu raciocínio é de serão necessárias multiplas
     formações de educadores... da mesma forma como deverão ter
     multiplas legislações ... periodos letivos, tamanhos de disciplinas...sei
     lá... uma oferta aberta de possiveis cursos e habilitações
Joana  Tereza--Denobile-->> A cada dia percebo que o tradicional
     não funciona mais. Ex. mudam filosofias, mas mantém o mesmo
     espaço ou mudam espaços e permanece o pensamento tradicional.
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> Na eola em que trabalho
     há cursos optativos.Isto lembra comunidades...
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Sim, o mesmo se pode dizer
     de pessoas que pensam que para "inovar" em EAD basta transpor
     para um ambiente online cursos nos mesmos moldes dos tradicionais,
     presenciais
Valéria  Fraga-->> É verdade, Joana. Eu percebi isto nas aulas
     de laboratório na Uniao. Levamos os alunos a um local com
     recursos incriveis de acesso à internet, cha, forum ... e
     damos a eles exercícios para completar na tela do terminal.
Instructor>> Mas tudo vem de uma relação de poder... o tradicional
     tem medo da ruptura, tem de ter "grades" (brrrrr) ... é preciso
     libertar das grades... e aí vem mais uma questão retornando
     a nossa velha história de hoje... se temos um trabalho coletivo
     e colaborativo...onde um ajuda o outro que ajuda os outros
     e que ajudam o um... quem é o autor?
Valéria  Fraga-->> Seria a inteligência coletiva, compartilhada,
     e a questão de autoria de certa forma se perderia no grupo.
Instructor>> E o direito é de quem? Se isto envolve dinheiro,
     por exemplo...
Helenice  M.--Barcellos--Bergmann-->> Do grupo ou da instituição
     a que se vincula?
Valéria  Fraga-->> Acho que teremos que compartilhar os lucros
     também. (trabalho de equipe-sócios).).
Valéria  Fraga-->> Se você estiver sendo financiada pela instituição
     para desenvolver umtrabalho, aí o direito é da instituição.
     Infelizmente.
Instructor>> Vejam como é complicado.... se uma organização tem
     lucros com o trabalho da equipe ... ela precisa definir o
     valor do trabalho e o valor da autoria do trabalho
Daísa  Teixeira-->> É mesmo, Vani. Os diferentes tempos e espaços
     exigem uma dinamicidade, uma intercalação dos papéis de autor,
     co-autor, equiep, anonimato, etc...
Instructor>> A lei é clara em um ponto... por exemplo... ela diz
     que o governo pode financiar um trabalho e utilizá-lo mas
     os direitos do autor do trabalho são da pessoa
Maria  Covadonga--López--Apostólico-->> Ai deveria existir um
     acordo entre as partes
Valéria  Fraga-->> No Banco do Brasil, quem é financiado pelo
     banco para fazer Pós, precisa "vender" o direito para o mesmo.
Instructor>> Um texto por exemplo que v. crie para um curso de
     uma instituição... v. é paga para fazer o texto, mas v. é
     autora do texto e se quiser pode apresentá-lo em congressos,
     participar de coletaneas...
Valéria  Fraga-->> E quanto a questão financeira, você pode ganhar
     dinheiro com ele? Publicá-lo?
Instructor>> Como assim Valéria... o Banco do Brasil fica sendo
     o autor da tese?
Daísa  Teixeira-->> No entanto, nós, professores de escolas particulares,
     produzimos tanto... e no cômputo geral do trabalho desenvolvido,
     isso nem é levado em consideração.
Valéria  Fraga-->> Não é bem autor, mas precisamos assinar um
     acordo com o Banco dando a ele direito de utilizar o trabalho
     como eles bem entenderem. Acho que é uma questão meio dúbia.
     Eu mesma tenho minhas dúvidas a respeito desta questão..
Instructor>> Eu já fiz alguns acordos, assim... me pediram para
     escrever um texto original para um jornal e compraram o meu
     texto (sou a autora, com retrato e tudo) e assinei um contrato
     de não utilização do texto por dois anos apenas. Mas os créditos
     de autoria são meus.
Daísa  Teixeira-->> Penso que a dificuldade está em nós, professores,
     nos considerarmos também profissionais autores e agirmos
     como tais.
Instructor>> Boa, Daísa!
Valéria  Fraga-->> Eu entendi, Vani. Acho que é mais ou menos
     assim. Vou pegar a instrução sobre isto para checar esta
     idéia melhor.