Textos

Comunidades Virtuais 

O surgimento das Comunidades Virtuais decorre do processo de amadurecimento das pessoas no uso desta tecnologia de comunicação que é a Internet . Hoje a Internet transformar as pessoas como dizia Vani: “consumidores da informação”, no qual a informação tem forma de mercadoria que deva ser consumida freneticamente sob a pena de ficar  desatualizado.  Isoladas no movimento em direção ao saber, essas pessoas sentem que saber só, não basta. Buscam o outro com quem dialogar, conversar, trocar idéias, refletir junto. O outro, próximo e visível, tem seu ritmo próprio, interesses diferentes.... sem tempo para a troca informal. O outro distante, acessível pelo telefone, também não se encontra disponível. “Totalmente isolado, o ser sente-se irrecuperavelmente perdido. Daí a busca por nova conectividade em identidade partilhada, reconstruída”  E é no ciberespaço que abre novas possibilidades e configurações para as pessoas aprenderem. Dispostos, informais, com muita vontade para aprender o que lhes interessa, sem discriminações, sem deslocamentos físicos, reunidos virtualmente em “comunidades virtuais”. Comunidades Virtuais são redes eletrônicas de comunicação interativa autodefinida, organizadas em torno de um interesse ou finalidade compartilhada.

Os integrantes da Comunidade Virtual adquirem o que os pesquisadores definem como “personalidade eletrônica” (the electronic personaty), caracterizada: 
a)  pela capacidade de manter um diálogo interno, na busca de respostas para questões que preocupam o indivíduo;
b)  por um elevado grau de privacidade, como um espaço a partir do qual a pessoa se comunica com outras; 
c) pela habilidade de trabalhar com as questões emocionais através do texto escrito; 
d) pela capacidade de criar mentalmente os ambientes onde vivem os parceiros do diálogo eletrônico; e)  pela habilidade de criar o senso de presença online através da personalização da
comunicação.
Nela pode-se  abarcar e integrar todas as forma de expressão, bem como a diversidade de interesses, valores e imaginações, inclusive a expressão de conflitos.
 

Comunidades virtuais de aprendizagem.

Já nestas comunidades o interesse comum é a aprendizagem, a busca do aprender. Baseado em uma concepção interacionista/construtivista, onde o conhecimento é entendido como uma relação de interdependência entre o sujeito e seu meio.  A
interação acontece de forma que o conhecimento não parte nem do sujeito, nem do objeto, mas da interação indissolúvel entre eles. Se pensarmos em grupo de pessoas as interações são modificadas umas às outras, em busca de uma ação coordenada ou uma ação comum. Que podemos chamar de cooperação, caracterizada  pela coordenação de pontos de vista diferentes, pela operações de correspondência, reciprocidade ou complementaridade, e pela existência de regras autônomas de condutas fundamentadas de respeito mútuo. E é durante os processos de interação, os participantes ativos constroem e expressam competências, as quais são
reconhecidas e valorizadas de imediato pela própria comunidade.
Metodologia de Projetos de Aprendizagem
Baseado em Problemas

Na metodologia de projetos de Aprendizagem Baseado em Problemas, quem escolhe o tema a ser investigado são a os estudantes e os professores. Ele é gerado pelos
conflitos, pelas perturbações dos envolvidos.

Quando o aprendiz é desafiado a questionar, quando ele se perturba e necessita pensar para expressar suas dúvidas, quando lhe é permitido formular questões  que
tenham significação para ele, emergir de usa história de vida, de seus interesses, seus valores e condições pessoais, passa a desenvolver a competência para formular e equacionar problemas. Neste contexto o conhecimento novo é produto de atividade interacional, interatividade cognitiva, interação entre os parceiros pensantes, trocas afetivas, investimento de interesse e valores. Esta Metodologia pode ser viabilizada através do uso de ambientes virtuais de aprendizagem, quepermitam a constituição de comunidades virtuais.